Ao estudarmos o livro de Jó, percebemos que aqueles acontecimentos não foram um caso da ação divina para prova-lo, mas ação do Diabo atacando e destruindo a vida daquele homem [Confira no post anterior]. Ele estava cheio de  medo, um tipo extremo de pessimismo antes mesmo de tudo aquilo acontecer. E no meio daqueles terríveis episódios Jó tornou-se um homem ainda mais pessimista. No capítulo 3, vemos como ele permitiu que Satanás fizesse tudo aquilo com ele.

Jó teve medo e isto veio sobre ele

Neste momento talvez esteja questionando o fato de Jó ser chamado como justo, mas isto veremos no próximo post.

O pecado é meio pelo qual Satanás entra e atua, e o pecado de Jó foi o medo. E este é um dos pecados mais “aceitáveis e comuns” na igreja, estamos cercados por declarações de medo, até mesmo muitas das “músicas cristãs” são louvores ao medo, alguns permitem que o medo determine sua agenda e comportamento. Mas há um princípio sobre o medo: Se você tiver medo então o que você teme acontecerá. Este é o mesmo principio que atua na fé: Se você crê então isto se manifestará sobre você. Provérbios 10:24 resume este pensamento:

“O que o ímpio teme lhe acontecerá; o que os justos desejam lhes será concedido.” [Provérbios 10:24]

E Jó era temoroso e por isso ele e viveu o que temia. Ele era próspero em tudo: muito rico, com uma saúde impecável, com ótima família. Mas em certo momento ele deu acesso ao medo, ele mesmo confessa este temor e receio antes da morte de seus filhos e da súbita pobreza e doença: O que eu temia veio sobre mim; o que eu receava me aconteceu” [Jó 3:25]. Ele temia perder as riquezas, os filhos e a saúde, e isto tudo aconteceu. Se suas palavras e pensamentos são cheias medo então sua vida será governada pelo medo. Se você diz ou pensa coisas como: “Tenho medo de ter um câncer”, “tenho medo de fracassar” ou “tenho medo de…”, então você está abrindo a porta do medo como Jó abriu. Não confesse o medo, não permita que o medo determine o seu  comportamento, não se torne um escravo do medo e da destruição [Hebreus 2:15].

“e libertasse aqueles que durante toda a vida estiveram escravizados pelo medo da morte.” Hebreus 2:15

O Medo era motivação de Jó

O capítulo 1 do livro nos revela uma prática de Jó, ele constantemente fazia sacrifícios e purificações, sua motivação era: “Talvez os meus filhos tenham lá no íntimo, pecado e amaldiçoado a Deus” [Jó 1:5]. Seus sacrifícios, não eram sacrifícios de gratidão  ou adoração, na verdade sacrifícios constantes de medo, de um homem que temia que algo ruim acontecesse, ele não vivia em paz e descanso, ele somente se preocupava e temia caso algo desse errado [Jó 3:26]. Os sacrifícios de Jó não eram a Deus, eram sacrifícios feitos no altar do medo, porque estavam motivados por medo.

Os sacrifícios de Jó não eram a Deus, eram sacrifícios feitos no altar do medo, porque estavam motivados por medo.

Quando o Diabo acusou Jó nos tribunais celestiais, ele colocou as intenções e motivações de Jó em questão [Jó 1:9]. Satanás trouxe acusações contra Jó, dizendo que ele somente sacrificava por motivos impuros, Jó não foi acusado por práticas imorais, ou pecados geracionais, ele foi acusado porque suas motivações eram cheias de medo.  As acusações do Diabo eram tão consistentes que nem mesmo Deus pode impedir a sugestão do inimigo. Lembre-se que isto foi antes da cruz e não havia Jesus como intercessor e advogado para se levantar em favor de Jó, mas temos claro que acusação do diabo se baseou em sacrifícios feitos com motivações erradas, os sacrifícios de Jó exalavam medo.

A lição aqui é: Não temos apenas que fazer as coisas certas para Deus, mas precisamos fazer com as motivações certas, pois tudo o que não procede da fé é pecado[Romanos14:23]. Permita que o Espírito Santo sonde o seu coração e julgue suas intenções, levando todo caminho mau para a cruz  de Cristo onde somos feitos justiça, quando fazemos isso retiramos qualquer argumento que o diabo tenha para nos acusar.

Jó entrou em desesperança

O medo de Jó estava ligado a falta de esperança, seus sacrifícios constantes nos mostram que a visão de futuro daquele homem era pessimista. No meio da aflição ele se tornou ainda mais fatalista, Jó estava convencido que Deus estava causando aquela destruição como também tinha perdido a esperança de sair daquela situação [Jó 6:21]. Se falta esperança, então você está olhando com pessimismo para o futuro, e o pessimismo alimenta o medo, e quanto maior o medo maior é a destruição. É neste o ciclo destrutivo que aquele homem estava, e talvez o seja o mesmo ciclo que você está.

Cristo é a nossa esperança, e a esperança é âncora da nossa alma [Hb. 6:19] que nos torna firmes e estáveis se passarmos por aflições, quando cremos no Filho estamos  assumindo um posição de esperança, assumindo que o nosso futuro está garantido. O Pai Celestial cuida das aves do céu e por isso podemos confiar a nossa vida aos cuidados dEle. Se andarmos em ansiedades, preocupações e desesperança abriremos a porta do medo, se andarmos em fé receberemos e veremos aquilo que cremos.

“Lancem sobre Ele toda a sua ansiedade,
porque Ele tem cuidado de vocês.”
[1 Pedro 5:7]

Jó era um homem de paciência

O  medo e desesperança destroem a fé, e somente uma ação de fé poderia tirar Jó daquela situação. Se estamos em uma situação adversa devemos tomar o escudo da fé e a espada do Espírito e então nos tornamos inabaláveis [Efésios6:10-18]. É interessante notar que Jó foi conhecido por ser um homem de paciência e perseverança, e isto é algo bom, mas ele não era conhecido por ser um homem de fé [Tiago 5:16-17], em outras ele simplesmente sentou e esperou o que estava por vir, ele não se moveu em crer que Deus o traria livramento, ele apenas sentou e acusou Deus. Não basta apenas esperar por algo persistindo no nada, você precisa de fé  você precisa crer que no que a Palavra diz e agir de acordo.

“No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.”
[1 João 4:18]

O Amor expulsa o medo

Jó admite no capítulo 42 que sua imagem a respeito de Deus era confusa e irracional, ele não acreditava no amor de Deus como algo suficiente para salva-lo, e por isso tornou-se um homem mergulhado no medo e na destruição. Se não estivermos conscientes do amor de Deus seremos destruídos, andaremos no engano acreditando que o Pai é o autor da dor, enquanto Satanás rouba, mata e destrói. Todavia quando conhecemos o Amor de Deus podemos andar em fé, pois a fé opera no amor, e o amor expulsa o medo. O Amor de Deus revelado em Cristo na cruz, é a garantia que passaremos por tribulações leves e momentâneas e seremos sempre vitoriosos, que vivemos em saúde divina, viveremos sem preocupações e medo.

Descubra passos práticos para dominar o Medo

Anúncios

Um comentário em “Aprendendo com Jó: Não tenha medo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s