“Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.” 1 Coríntios 15:45

Adão foi o primeiro de sua raça, ele ganhou a vida e nos deu a morte, nós estávamos em Adão com suas doenças, pecados, maldições, enganos e mentiras. Adão é o nome de uma raça humana caída e destruída. Mas na cruz Cristo se tornou o último Adão ao assumir a natureza de pecado na cruz. Na Cruz Jesus matou a natureza caída da humanidade adâmica, todos os que se unem com Jesus se unem na morte da raça adâmica [1 Co. 15:45]. E então Cristo se tornou o primeiro de uma nova raça, uma raça de Filhos de Deus, livres de qualquer maldição.

 

“E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação. Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.” Romanos 5:16,17

 

Quando o primeiro Adão caiu, toda condição de domínio foi perdida, mas o último Adão, Jesus, extermina esta condição de morte na cruz. E se torna o segundo Adão, o primeiro de uma nova raça, vivificada no espírito, capaz de reinar em vida. A vida no espírito é reinar em vida por meio de um só: Jesus. Aqueles que andam em boa consciência podem reinar em vida sobre toda a criação, sobre todas as circunstâncias da vida.

“Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova. Se dessa forma fomos unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente o seremos também na semelhança da sua ressurreição. Pois sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado seja destruído, e não mais sejamos escravos do pecado; pois quem morreu, foi justificado do pecado. Ora, se morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos.” Romanos 6:4-8

Todos nós saímos do primeiro Adão, nele estava a natureza de pecado, por isso quando Adão morreu todos morreram juntamente com ele, quando ele caiu todos caíram juntamente com ele [Romanos 5:17-18]. Do mesmo modo quando cremos em Cristo nos unimos a Ele em sua morte e ressurreição [Efésios 2:6]. Então temos duas verdades: a primeira, “caímos e morremos com Adão”; e a segunda: “morremos e ressuscitamos com Cristo”.

Decidir pela vida “Em Cristo” é decidir aceitar a morte de nosso “velho eu”, é decidir perder a vida natural que veio Adão e nos ligarmos a vida em Cristo. A cruz representa a morte total da natureza de pecado, a morte total da vida que possuíamos, a morte total de toda enfermidade, de toda dor. Ir para a cruz é o único caminho que nós temos para entrarmos na vida de Deus. A Cruz é a nossa união com Cristo, é a obra perfeita. Tudo o que precisamos fazer é unirmos com Cristo, em uma única ação: Crer naquilo que Ele já fez. Quando cremos nos unimos com Cristo na morte e na ressurreição. Não se trata de uma luta para matarmos o no nosso “velho eu”. A morte da natureza pecaminosa ocorreu em Cristo, quando Jesus morreu ele estava matando o nosso velho homem para dar vida um novo.

Jesus disse: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá; mas quem perder a vida por minha causa, este a salvará. Pois que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, e perder-se ou destruir a si mesmo? Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier em sua glória e na glória do Pai e dos santos anjos” [Lucas 9:23-26]. Entretanto a cruz não é um fim em si mesmo, ela é apenas a porta de entrada para a vida no espírito. A vida no espírito começa por meio da morte e crucificação do nosso “velho Eu”. O apóstolo Paulo nos ensina que no batismo estamos testificando que esta morte ocorreu em Cristo, que em Cristo já fomos crucificados. Em outras palavras ele está dizendo que tomamos a nossa cruz, seguimos a Jesus até o Calvário e com ele morremos, e no final com ele ressuscitamos. Passamos da cruz para a ressurreição no novo nascimento.

Nesta nova vida fomos movidos da cruz para o trono juntamente com Cristo, pois onde Ele está nós também estamos. Nosso espírito recriado está unido ao Espírito, e onde Jesus se assentou nós também nos assentamos. Jesus é a extensão do nosso espírito no céu, e nos tornamos a extensão do Espírito dEle na Terra. Quando ressuscitamos com Cristo nos tornamos capacitados a andar no mesmo estilo de vida que Jesus. Podemos andar na mesma dimensão de amor (Romanos 5:5), na mesma dimensão de graça (Colossenses 2:9-10) e na mesma tipo de fé, assim como Jesus está assentando no trono sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder(Hebreus 11:3),, nós também podemos fazer assim como Ele faz pois estamos juntamente com Ele no trono (Efésios 2:4-6).

O corpo de pecado está morto

 

“Nele também vocês foram circuncidados, não com uma circuncisão feita por mãos humanas, mas com a circuncisão feita por Cristo, que é o despojar do corpo da carne (despojo do corpo dos pecados da carne). Isso aconteceu quando vocês foram sepultados com ele no batismo, e com ele foram ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos. Quando vocês estavam mortos em pecados e na incircuncisão da sua carne, Deus os vivificou juntamente com Cristo. Ele nos perdoou todas as transgressões” Colossenses 2:11-13

 

Um dos fatos fundamentais de nossa realidade como nova criação é: a velha natureza de pecado foi destruída por Jesus na cruz, isto é, aqueles que creem no Filho não possuem mais uma natureza pecaminosa. Nossa carne, porém, ainda é frágil (Marcos 14:29), mas a tendência espiritual ao pecado foi removida de nosso espírito. Cristo crucificou o velho homem, com suas tendências ao pecado. E nos vivificou no espírito para vivermos no espírito pela fé. Contudo, ainda vemos multidões de crentes culpando a “natureza do velho homem”, por seus erros e pecados. Outros crentes culpam a “carne”, ou o corpo, pelos erros que cometem. Mas a Palavra nos ensina muitas vezes que o velho homem está morto, em Gálatas 2:20 diz: ”já estou crucificado com Cristo”, e,  quanto ao corpo a Palavra nos ensina que problema não está nele, pois o nosso corpo é governado pelo espírito e pela alma. Mas nossa alma é como o sistema que opera o corpo, por isso a questão está na mentalidade que governa a nossa alma.

Paulo em Romanos capítulo 8, versículo 6, nos ensina que a mentalidade da carne é a mentalidade do velho homem, que continua operando na alma mesmo depois do novo nascimento. A mentalidade da carne é como um “programa” construído ao longo dos anos de vida, usando todas as mentiras do diabo. A mentalidade da carne leva ao procedimento do pecado, uma “inclinação da carne”, sobre isso o apóstolo Paulo descreve o comportamento desta mentalidade dizendo:

“Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti, que os que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus.” Gálatas 5:19-21

Quando fomos crucificados com Cristo na cruz, nossos espíritos foram libertos da natureza de pecado. Mas nossa alma precisa ser renovada pela Palavra.  Agora temos liberdade e responsabilidade para disciplinar nossas mentes e corpo de acordo com a mentalidade do Espírito. Ninguém pode culpar sua própria carne pelos erros e pecados, pois somos vivificados e fortalecidos no espírito. Ninguém pode culpar o “velho homem” pelos erros e pecados, porque pessoas mortas não pecam. Quando nossas mentes são colocadas nas coisas do espírito, a mentalidade da carne se desfaz, pois, a verdade é revelada.  Por isto o apóstolo Paulo ensina:

 

“Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serem renovados no modo de pensar e a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da verdade” (Efésios 4:22-24)

 

O plano do inferno é obscurecer a obra da redenção neste assunto, assim muitos ficam presos em justiça própria tentando matar um “velho homem” que já foi crucificado pelo próprio Cristo, e, outros estão afundados em pecados por não saberem como renovar a mente, de acordo com a verdade, e, a disciplinar seus próprios corpos.  Ser uma nova criação não é luta exaustiva com um “velho homem” morto, e nem uma tentativa falha de viver no apenas seguindo o corpo. mas uma vida abundante, cheia de alegria, pois, a Palavra diz: “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2:20). Quem vive no espírito vive pela fé naquilo que Jesus fez.

 

“Que diremos então? Continuaremos pecando para que a graça aumente? De maneira nenhuma! Nós, os que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele? Pois sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado seja destruído, e não mais sejamos escravos do pecado; pois quem morreu, foi justificado do pecado. Vocês foram libertados do pecado e tornaram-se escravos da justiça. Falo isso em termos humanos por causa das suas limitações humanas. Assim como vocês ofereceram os membros dos seus corpos em escravidão à impureza e à maldade que leva à maldade, ofereçam-nos agora em escravidão à justiça que leva à santidade.” Romanos 6:1-2;6-7;18-19

 

Redimidos da maldição

 

“Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro; Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito.” Gálatas 3:13,14

 

A obra de redenção, feita por Jesus no seu: sofrimento, morte, ressurreição, ascensão e entronização, é chave para a liberdade e vitória sobre toda maldição. Precisamos reconhecer o que aconteceu na cruz, para que possamos crer e tomar posse. No seu corpo Jesus estava carregando todas doenças e enfermidades que existem (Is. 53:4), Ele estava sofrendo na alma todas feridas que alguém poderia sofrer (rejeição, desprezo, depressão – Is. 53:3), Ele estava vivendo toda a opressão e medo naquele momento (Is. 53:8), mas Ele foi além da dor física e psicológica, a maior agonia foi a espiritual. Jesus sofreu a maior condenação que o homem pode viver a separação de Deus, a morte espiritual, ele assumiu toda iniquidade, levando sobre si todo pecado: presente, passado e futuro. Jesus não apenas viveu a maldição ele tornou-se maldição (Gl. 3:13), Ele não apenas morreu por nós, mas morreu como um homem sem Deus. Toda mentira que contaminou a humanidade estava em Jesus na cruz, toda culpa, e por isso ele declarou: “Deus meu Deus meu por que me desamparaste? ”.  Ele se tornou como o homem caído: sem Deus, culpado e envergonhado, ele estava deformado e transfigurado pelo pecado (Is. 52:14, Sl. 22:8). E ainda foi ainda mais ao extremo e sofreu toda condenação e consequência, Ele foi ao inferno (Is. 53:11, Romanos 10:7). Ele não somente sofreu e morreu, ele ressuscitou e destronou toda autoridade das trevas e quebrou todas as maldições, ascendeu ao céu e se assentou no trono mais alto da criação. Eu sei que já falamos sobre cada uma destas coisas até aqui, e estamos novamente mencionando. Fazemos isto apenas para reforçar que não há motivo para haver maldição em sua vida, se você nasceu de novo. A maldição não  tem poder sobre você.

Não há maldição que não tenha sido quebrada por Jesus. Somos salvos, curados e libertos. Jesus não somente nos garantiu o perdão, como também garantiu uma transformação em nossa natureza, assim como ele se tornou-se pecado, ele nos deu uma natureza divina (1 Pe. 1:4), quando nascemos de novo nos tornamos totalmente novos (2 Co. 5:17). Recebemos a liberdade celestial, porque entendemos que Jesus assumiu o nosso lugar no inferno. Fomos sepultados com Jesus, e com ele foram todos pecados, todas as maldições, toda natureza de iniquidade, está tudo sepultado e anulado. E com ele ressuscitamos para uma nova vida livre do pecado e da maldição (Rm. 6:4-11). Precisamos nos apropriar das realidades da redenção, expondo e trazendo transparência aos pecados e maldições a luz da verdade de que já somos libertos (1 Jo. 1:7). A verdade é: Cristo se fez maldição em nosso lugar (Gl. 3:13-14), e por isso podemos acessar todas as bênçãos pela fé, aplicamos o sangue de Jesus sobre todas as áreas de nossas vidas e anulamos todo direito e acusação de Satanás (Ap. 12:10-11).

 

Quebra de maldição?

 

A igreja dos últimos dias é assolada por doutrinas e ensinamentos estranhos. Estas doutrinas causam dúvidas que acabam por ser um impedimento a fé e são barreiras para vida no Espírito. Uma destas doutrinas é a que diz que filhos de Deus ainda estão debaixo de maldições hereditárias. Às vezes, ouvimos falar sobre maldição hereditária e de como se livrar dessa maldição. Há tanta confusão sobre este assunto que muitos se perdem daquilo que Jesus realizou na redenção.

A maldição hereditária existe, mas na vida de uma pessoa que ainda está sujeita a maldição. A maldição estará operando na vida daquele que por ignorância ou engano crê na maldição. A maldição está na natureza caída do homem que está morto espiritualmente. O homem desconectado de Deus por causa do pecado. Porém, quando qualquer pessoa recebe Jesus como seu Senhor e Salvador, ela prova do novo nascimento em Cristo Jesus para uma nova vida cheia da natureza de Deus.

Agora, essa pessoa, está em Cristo vivendo a bênção “hereditária” de Cristo Jesus e não mais maldição, pois, legalmente, Cristo se fez maldição por nós para que nEle fossemos abençoados! (Gálatas 3:13). Agora, em Cristo, já somos abençoados com toda sorte de bênçãos espirituais. (Efésios 1:3). Então, o único antídoto para a quebra de maldição é o novo nascimento.

Em todas as religiões do mundo há muitos “rituais” para quebrar maldições, infelizmente muitas igrejas também criaram e adotaram rituais semelhantes.  Alguns passam a vida como “arqueólogos espirituais”, passam a maior parte do tempo cavando os cemitérios de suas velhas vidas, buscando desenterrar os restos de uma vida que está morta, fazendo pesquisas sobre o velho homem, eles passam a vida inteira em “processo de libertação”, eles acreditam que são “assombrados” pela velha criatura e seus erros. Eles na verdade estão lutando contra um cadáver, lutando contra uma carcaça morta e desperdiçando suas vidas enquanto o verdadeiro inimigo as mantém cativas.

Você não precisa mais olhar para a sua vida no passado e tentar resolver algum tipo de pecado que o velho homem cometeu. Tentando melhorar, de alguma forma, seu presente e o seu futuro por meio da justiça própria. Jesus já resolveu todos os problemas da velha criatura, sabemos que o você do passado morreu em Cristo para uma nova vida. Nenhum tipo de pecado de alguém da sua família pode ter efeito ou acesso na sua vida, pois a velha criatura, que recebeu uma herança de Adão, que recebeu uma herança de maldição dos pais, está morta. Nossa herança espiritual não provém mais de nossos pais carnais, mas de Deus em Cristo Jesus, pois nascemos do Espírito.

Não há mais nenhuma necessidade de um filho de Deus fazer “quebra de maldição”, pois Cristo já fez isso na Cruz, levando sobre si todas as nossas doenças e enfermidades, fazendo-se maldito em nosso lugar para que andemos na plenitude.

Filhos amaldiçoados?

 

“Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criação” Gálatas 6:15

Ao falar que toda maldição já foi quebrada por Jesus na cruz, muitos passam a questionar sobre fatos e experiências em suas vidas. Como poderia ser explicado o fato de muitos filhos de Deus ainda viverem debaixo da miséria, enfermidade e morte.  Estas coisas são sinais de maldição, como está descrito em Deuteronômio capítulo 14. Ao ver estes sinais muitos pensam: “Ah, mas a maldição sem causa não virá. Se a pessoa dá lugar a maldição volta”. A maldição somente repousa se dermos ao Diabo lugar para que isso aconteça. (Efésios 4:27).

O lugar que o diabo pode ter acesso na minha e na sua vida, é através de uma vida carnal, ou de pecado. Mas quem decide isso sou eu ou você! Ao receber Jesus, fomos libertos do império das trevas e do domínio de satanás (Colossenses 1:13). Agora, somos nós quem dominamos sobre satanás e o pecado. Com apenas um único sacrifício, Jesus, resolveu todo o problema do homem no tocante a sua natureza velha e passado de maldição e pecado. O passado do velho homem, de pecado e maldição, não existe mais. E ainda, o Pai providenciou e capacitou o homem nascido de novo a viver uma vida no espírito. Não ensinamos estas coisas para que você viva na busca por legalidades e brechas, mas para que você viva na graça sabendo da justiça completa em Cristo.

Quando os sinais do velho homem e maldição parecem retornar para a sua vida, saiba que estes sinais são mentirosos. Pois a maldição hereditária, e os pecados do velho homem, foram crucificados por Cristo. Entretanto se acreditarmos que a maldição mesmo assim pode retornar, fortalecemos uma mentira, o que dá a Satanás, o pai mentira, a oportunidade de estabelecer mais uma vez o pecado e a maldição. Temos, porém, o poder de resistir ao diabo, alinhando a nossa mente e a nossa confissão a verdade. Como o apóstolo Paulo ensina: “não devemos levar em conta” (Romanos 6:11), literalmente não devemos mais considerar, ou levar em conta, pecados e maldições, pois não estamos mais debaixo do pecado e da lei. É como resolver um problema matemático, onde já sabemos a resposta, se fizermos as contas e chegarmos a um resultado diferente, precisamos voltar e checar os fatores da nossa redenção.

 

Nos dias 9 e 10 de agosto teremos uma reunião de avivamento para mergulharemos nestas realidades. Estará conosco John Crowder autor do best-seller União Mística, que tem impactado não só a nossa vida, mas de milhares de pessoas pelo mundo. Clique aqui e se inscreva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s