Amarás o teu próximo como a ti mesmo. [Marcos 12:31]

 Este é para muitos um dos versículos mais desafiadores das escrituras, a primeira parte deste versículo tornou-se o ponto impossível e limitador de muitas pessoas. De fato quando confrontados  com a necessidade de amar o próximo,a  maior parte do Corpo de Cristo conclui que esta é uma tarefa difícil. Por que  tantos estão sobrecarregados em algo que segundo a Bíblia deveria ser leve? [1 João 5:10-14] A impressão que temos é que a palavra AMOR tem gerado  uma estranha sensação de peso e impossibilidade na igreja.

Amar o próximo, também pode ser traduzido como amar aos outros, é um alvo a ser perseguido, algo em constante desenvolvimento na igreja. O ponto de partida deste desenvolvimento foi indicado por Jesus: COMO A TI MESMO. Amor o próximo é um reflexo do amor por nós mesmos. Se você tem achado que amar o próximo é uma tarefa difícil então está na hora de analisar se realmente há amor por si mesmo. O amor que temos por nós mesmos é o modelo que teremos para amar o outro, se não conseguimos olhar com amabilidade para nós mesmos não conseguiremos olhar amavelmente aqueles que estão ao nosso redor. A MEDIDA QUE AMAMOS A NÓS MESMOS É A MEDIDA QUE AMAMOS OS OUTROS.

AMOR PRÓPRIO vs EGOÍSMO

Essas pessoas vivem se queixando e são descontentes com a sua sorte, seguem os seus próprios desejos impuros; são cheias de si e adulam os outros por interesse. [Judas 1:16]

Talvez você imagine o amor a si mesmo como uma forma de egoísmo ou orgulho, ou mesmo esteja imaginando que este texto seja apenas para valorizar o ego e o hedonismo humano. Quero esclarecer que amar a si mesmo não tem nada a ver com egoísmo. O amor próprio  define-se por assumir a imagem e a ideia original que Deus sonhou para nós. O egoísmo é o estilo de vida destrutivo baseado em medo, é o resultado direto de valores essenciais errados que levam ao orgulho. O egoísta apesar de individualista não ama a si próprio, para um egoísta  a vida é apenas insegurança, competição, solidão, rejeição e mentiras. No egoísmo não há espaço para a confiança no outro, o outro é visto com suspeitas,  nesta posição ocorre uma valorização do “eu” que desvaloriza o próximo, o interesse egoísta não abre espaço para o amor [1 Co. 13: 5].

AMOR PRÓPRIO vs FALSA HUMILDADE 

Essas regras têm, de fato, aparência de sabedoria, com sua pretensa religiosidade, falsa humildade e severidade com o corpo, mas não têm valor algum para refrear os impulsos da carne. [Colossenses 2:23]

O extremo oposto ao egoísmo é a baixa-estima, é uma das ideias mais difundidas na igreja e uma armadilha que destrói o amor próprio. A Bíblia chama este pensamento como “falsa humildade”, esta mentira nos sugere que qualquer reconhecimento de nossa identidade deve ser considerado orgulho, e que a única forma de tratarmos com o orgulho seria nos rebaixar, “reconhecermos que somos nada, que somos ruins por natureza”praticando coisas para tentarmos “ser bons”. A Falsa humildade destrói o amor  e destrói a alegria com regras e condenações.  A verdade é que HUMILDADE NÃO É PENSAR NEGATIVAMENTE SOBRE NÓS MESMOS. Quando aprendemos a amar a nós mesmos assumimos a identidade, natureza e  posição que Deus nos deu. E  talvez você esteja de novo preocupado com o orgulho, arrogância ou algo do tipo,  por isso lembro que o ponto de equilíbrio se encontra em reconhecer que a nossa grandeza vem de Deus, que fomos transformados pela obra da Cruz. A verdadeira humildade não nos rebaixa mas exalta a Deus. Falhamos quando espiritualizamos uma falsa humildade, quando exaltamos fraquezas quando na verdade deveríamos exaltar o poder de Deus que se aperfeiçoa nas fraquezas. Se falharmos em ver a grandeza e importância em nós, falharemos em ver a grandeza e a importância que existe no próximo.

“Humildade não é pensar menos de si mesmo mas menos em si mesmo” C. S. Lewis

Você é tão importante quanto o outro! Quero te encorajar a romper com o estigma da falta de amor próprio. E o primeiro passo para o romper é reconectar consigo mesmo, isso significa olhar espiritualmente para sua alma  e corpo [1 Co. 2:11], alinhar o seu interior. Se você está demonstrando um dos sinais abaixo separe um tempo com Jesus para conhecer alguém fascinante e incrível chamado: VOCÊ!

1 – Você se sente culpado(a) quando está feliz

Alegria é um fruto do Espírito e é natural para os filhos de Deus viverem nela, o problema começa quando mesmo quando não há motivos não conseguimos celebrar nossas conquistas por sentirmos culpa e condenação por aqueles que ainda não estão vivendo. Se você não vive em alegria isto também é um problema.

2- Você se sente mal com a alegria dos outros

Quando  ao ver alguém que está vivendo feliz a reação é de mal-estar, sentimento de injustiça  e até mesmo raiva. A sensação pode ser tão intensa que pode se transformar em ódio e a pessoa pode ter vontade de destruir o que o outro tem. Mas, na verdade, todo esse ódio está em si mesmo e em sua cegueira para enxergar seus próprios potenciais.

3- Você está envolvido(a) com mentiras e omissões

Aqueles que usam de mentiras para mascararem suas realidades muitas vezes estão buscando a aprovação e a aceitação dos outros. A pessoa sente pouca aprovação e sua mente está  se apegando a qualquer informação que possa “valorizar” um conceito pessoal com uma “pequena” mentira. Ou seja, enfeita-se o externo, mas o interno não se aceita. A maior mentira passa a estar no interior, as mentiras do diabo [Ex: “você é insignificante, fraco, ninguém etc”] tornam-se reais no interior.

4- Você acha difícil cuidar da sua saúde e corpo

Se você achar que é difícil cuidar de si mesmo, talvez você precisa ter um momento para se apaixonar por si mesmo. Quem se ama, se cuida. Somos templo do Espírito  e nosso corpo tem valor e importância.

5- Você só se sente feliz quando as coisas estão funcionando bem

Quando as coisas ficam difíceis, você pode rir, dar de ombros e até se alterar um pouco, mas depois tentará novamente, tudo isso sem perder a alegria. Por outro se apenas nos alegramos  nos dias bons nossa força se torna fraca no dia mau [Provérbios 24:10]

6- Você  constantemente julga seus pecados

O problema não é o julgar a si mesmo, o problema é a buscar constantemente pecados e condenarmos a nós mesmos por isso. Davi nos ensinou que apesar de nos arrependermos quando necessário, deveríamos buscar fazer o nosso melhor e permitirmos que o próprio Senhor sondasse o nosso coração [Salmos 139]. Uma das estratégias do inimigo é criar prisões com pecados já perdoados.

7- Você  tem raiva dos seus pecados passados

Por vezes você sente raiva ou até mesmo ódio de ações e comportamentos do passado, talvez estas lembranças voltem repetidamente a sua mente, isto significa que você não está perdoando a si mesmo. Você precisa perdoar  e amar a pessoa que você era no passado, não importa o que você tenha feito,  a pessoa que você era foi alcançada e amada por Deus! E quando você perdoar, você estará autorizado para fluir em quem você é hoje.

Um comentário em “Você não ama seu próximo porque você não ama a si mesmo

  1. Que reflexão/mensagem mais perfeita que já li. Seria mais perfeito se todos pudessem lê essa reflexão sobre o amor.. E que fossem espalhados em todos os jornais e lugares. Que possamos viver sem julgamentos e mais amor.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s