Pais e Filhos na Fé IV: A VISÃO DE VIDA NO ESPÍRITO

Tudo na minha vida pareceu ter se encaminhado para o momento que eu entraria nesta visão de VIDA NO ESPÍRITO, se você ainda não sabe. A visão consiste em: viver o evangelho na simplicidade da fé sob a liderança do Espírito Santo. Mergulhados na graça radical, sob a assistência das práticas espirituais.

É uma boa forma de dizer que temos uma vida de poder e avivamento constantes! Mas em 2012 eu não estava pronto para entrar de forma radical nesta visão. Eu acredito que toda a minha jornada com o Fred foi como uma preparação para aquele encontro com Éber Rodrigues. O Espírito Santo orquestrou tudo. Eu passei 4 anos de oração em línguas e tudo se encaixou!

No meu primeiro encontro com o Éber como minha paternidade na fé, eu já estava pronto para me submeter em cumprir a visão dele e não a minha. Eu estava simplesmente entregue para o que viesse. Fomos a Goiania por três dias, e somente conseguimos falar com ele no último dia. Eu realmente não estava preocupado como seria aquela conversa, eu já era filho e já tinha aprendido neste ponto a submissão incondicional e obediência condicional. Eu estava pronto a seguir a visão não importa o quão desconfortável seria.

Eu entrei naquela sala pronto para tudo. Parecia que nos conhecíamos a anos, desde o começo da minha transformação em 2012 eu estava ouvindo o Éber. Para a minha surpresa ele simplesmente disse: “O que te falta para cumprir a visão?”. Eu sabia que aquele era o tipo de pergunta que testa a confissão da palavra na vida de um discípulo, então eu respondi: “Nada me falta [Salmos 23]”, naquela sala ele me encorajou a seguir a visão de vida no espírito mas cumprir esta visão como Expansão do Reino, seguindo a identidade apostólica. Sabe a conversa com o Fred tinha me preparado para receber a unção apostólica do Éber que estava me enviando naquele momento. Eu tinha acabado de chegar mas já estava sendo enviado, a minha disposição em cumprir a visão acima de mim mesmo, estava me enviando para o propósito.

Naquela manhã o Eber deixou claro que eu não deveria seguir apenas com o Expansão do Reino, mas seguir com a VISÃO DE VIDA NO ESPÍRITO no Expansao do Reino! A visão celestial que recebi é completa seguindo a visão celestial que o meu pai na fé recebeu! Naquela sala eu tive uma compreensão que a visão não era minha, nem mesmo do Éber, a visão é do céu, qualquer tentativa de ter estar na visão por si mesmo é falha.

O pai na fé carrega uma visão que torna o chamado nos filhos possível. A visão celestial é entregue em partes e o cumprimento dela só é possível quando juntamos as partes. O pai carrega uma parte e os filhos carregam a outra e nisso a visão de ambos se realiza. o profeta Joel diz sobre que o sonho dos pais associado a visão dos filhos esta é uma associação poderosa.

E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões.

Joel 2:28

É o Eliseu que anda com o Elias

Abrimos o coração e no final daquela conversa, Éber estava na porta pronto para sair e me encorajou dizendo: “Preste atenção, é o Eliseu quem anda com o Elias, não espere o contrário.” Ele virou as costas e aquilo foi um sinal para mim: acompanha o manto ou você fica perdido! Sabe você é quem deve ficar com o seu pai na fé, ele pode te ligar, cuidar de você, mas é sua responsabilidade estar sob a influência, ambiente e associação dele.

Naquela conversa passei a lembrar da história de Elias e Eliseu. Eliseu havia se comprometido a servir a Elias e a ter certeza de que Elias tinha o que precisava. Eliseu não estava preocupado com seu próprio ministério ou com seu destino; ele estava atento a Elias e assegurando o sucesso dele. O segundo livro de Reis capítulo 2 conta a história de Eliseu seguindo Elias logo antes do Senhor levar Elias para o Céu. Três vezes durante a jornada, Elias disse a Eliseu para deixá-lo ir porque o Senhor o levaria. Mas, todas as vezes, Eliseu se recusou a ir embora apesar de saber que a hora de Elias havia chegado. Muitos estudiosos da Bíblia creem que em cada cidade onde Elias disse para Eliseu ficar, ele teve a oportunidade de começar seu próprio ministério assumindo uma escola de profetas. Porém, ele recusou todas as oportunidades de desenvolver sua própria visão e ficou com Elias para servi-lo até o fim. Para Eliseu, o que importava não era o seu potencial, mas servir ao seu pai na fé. Eliseu também sabia que Elias tinha o que ele precisava, o manto, e precisava ser fiel no serviço para recebê-lo.

Aprenda sobre paternidade, decidindo que mesmo que seus pais e mães não te ajudem a chegar ao seu destino da forma que você deseja, você pode e deve servi-los e fazer tudo que pode para vê-los conquistarem o destino deles. Eu passei a perceber que é uma parte importante do plano de Deus aprender a servir aos pais como um filho mesmo quando não sabia como aquilo me ajudaria a chegar aonde eu queria.

Apesar de não conseguir ver como isso funcionava, Deus estava me levando ao meu destino. É assim que Ele opera – assim que me propus a servir a visão da minha paternidade e cobertura, eu fui impulsionado para servir a naquilo que fui chamado na minha parte da visão. Embora parecesse diferente do que eu havia imaginado, tenho uma gratidão eterna com meus líderes e a minha paternidade pelo que eles semearam na minha vida.

Quando alguém chega no Expansão, muitas vezes chega como Eu cheguei para o Fred, pronto para cumprir a minha missão mas indisposto para cumprir a visão dele. E ainda há pessoas que chegam e me perguntam o que devem fazer para cumprir seu chamado e missão, outros ainda que não sabem o chamado de Deus para suas vidas. A resposta sempre é a mesma, a mesma resposta que aprendi servindo a minha cobertura e a minha paternidade na fé: “Sirva a visão de outra pessoa até que você cresça. Ore em línguas a amadureça no seu chamado, somente aja com o envio de sua paternidade”. Jesus nos ensinou sobre isso dizendo:

“E se vocês não forem dignos de confiança em relação ao que é dos outros, quem lhes dará o que é de vocês?” (Lc 16:12).

Entender este princípio de paternidade na fé, permite que o nosso Pai Celestial nos entregue exatamente as coisas com as quais fomos fiéis na vida de outra pessoa.

Bônus: podcast do meu pai na fé Éber Rodrigues

Ouça agora no Spotify: Apóstolos e Pais na Fé

Ouça agora no Apple Podcast: Apóstolos e Pais na Fé

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: